Escavação de Valas: conheça boas práticas de Segurança do Trabalho na Construção Civil

A escavação de valas, especialmente em canteiros de obras na Construção Civil, requer uma atenção especial para que sejam preservadas a saúde e a segurança dos trabalhadores. É importante que, antes que qualquer trabalho seja realizado, os aspectos geológicos da região onde a vala será escavada sejam estudados, e que seja feita uma análise de risco sobre a existência de redes de água e esgoto nas imediações.

Outra questão essencial antes de realizar qualquer trabalho de escavação de valas é se certificar que os trabalhadores tenham Permissão de Trabalho para executar as atividades no local. Como veremos adiante, essa permissão é dada através de um treinamento admissional específico em NR-18 (Normas para a Construção Civil), mas caso a profundidade da vala seja superior a 1,25 metros, é preciso também atender as recomendações da NR-33, a norma regulamentadora que trata sobre medidas de segurança para colaboradores que executam seus ofícios em espaços confinados, como as valas profundas.

Além deste documento, para que haja mais comunicação e implementação dos requisitos de segurança do trabalho é importante que seja elaborado e implementado o Procedimento para Trabalho em Escavação, que deve conter:

  • Objetivo;
  • Campo de aplicação;
  • Referências legais;
  • Descritivo das atividades – o que, como e quem;
  • Competências e responsabilidades;
  • Medidas de controle;
  • Análise Preliminar de Risco (APR).

Quais são os riscos mais comuns de acidentes com a escavação de valas?

escavação de valas

Quando o assunto são as escavações de valas, as situações de maior risco geralmente envolvem a questão da movimentação de solos. Dentre outros acidentes, os mais comuns ocasionados por essa movimentação são os desmoronamentos, os deslizamentos de terra e a projeção de materiais.

Além dessa questão eminente ao trabalho de escavação de valas, outros fatores mais ligados à execução do trabalho contribuem para aumentar o risco de acidentes neste contexto, tais quais:

  • Trabalhos sem proteção realizados nas periferias das escavações;
  • Falta de escoramentos nas paredes das escavações;
  • Passagem e estacionamento de veículos próximos à escavação;
  • Acúmulo de materiais (como areia e brita, por exemplo) nas beiradas da escavação;
  • Trabalho sob intempéries, como chuvas torrenciais.

Para cada um desses riscos, o conselho é simples: sempre se atentar para ter mais perícia com relação aos acidentes que podem ser evitados graças a um plano de segurança eficaz.

Cuidados necessários durante a escavação de valas

Abaixo, separamos algumas boas práticas de Segurança do Trabalho para o caso específico de valas em canteiros de obras:

  • Durante a execução da escavação, se identificada a interferência com redes subterrâneas, é necessário interromper as atividades e solicitar orientação técnica quanto às providências a ser tomadas;
  • O acesso às áreas de escavação só deve ser permitido estritamente a pessoas autorizadas. Por conta disso, o gestor de obras e os técnicos em Segurança do Trabalho responsáveis pelo canteiro devem sinalizar e fiscalizar a entrada de pessoas para que não ocorram acidentes;
  • Nos trabalhos de escavação, as redes subterrâneas devem sempre estar devidamente sinalizadas. O serviço deve ser supervisionado por profissional legalmente habilitado, e deve ser garantido um espaçamento mínimo de 1,5 metros de segurança entre o local escavado e a rede, conforme demonstrado na imagem abaixo;

Fonte: Manual de Segurança e Saúde no Trabalho para Escavação na Indústria da Construção / SESI – Departamento Nacional.
  • Com relação aos escoramentos, estes devem ser inspecionados diariamente, e os trabalhadores devem ser instruídos a comunicar qualquer indício de problema no que se refere à estabilidade deles;
  • É fundamental tomar precauções de proteção coletiva através dos Equipamentos de Proteção Coletivas, os EPCs. Essa proteção coletiva tem como objetivo prever a adoção de medidas que evitem a ocorrência de desmoronamentos, deslize de terra, projeção de materiais e acidentes com explosivos, máquinas e equipamentos.

Cuidados necessários com relação ao entorno da escavação de valas

Como as valas lidam diretamente com o solo, é importante estar atento ao entorno das obras para salvaguardar a segurança não apenas dos colaboradores, mas também das pessoas ao redor.

Fique atento a algumas recomendações de Segurança do Trabalho referentes às imediações de onde as valas costumam ser escavadas:

  • É importante que os materiais retirados da escavação sejam depositados a uma distância superior à metade da profundidade. Essa medição costuma ser realizada a partir da borda de um talude;
Fonte: Manual de Segurança e Saúde no Trabalho para Escavação na Indústria da Construção / SESI – Departamento Nacional.
  • Antes de iniciar as obras, certifique-se de desligar e retirar as linhas de utilidades, tais como de energia elétrica, de água, de inflamáveis líquidos e gasosos liquefeitos, de substâncias tóxicas, de canalizações de esgoto e de escoamento de água, respeitando as normas federais, estaduais e municipais;
  • É necessário proceder à descontaminação do ambiente, especialmente quando presentes agentes químicos, físicos ou biológicos que possam causar algum dano à saúde do trabalhador.

Atenção: para o caso de escavações com mais de 1,25 metros de profundidade, é necessário dispor de escadas ou rampas próximas aos postos de trabalho a fim de permitir, em caso de emergência, a saída rápida dos trabalhadores, além de uma segunda opção de rota de fuga!

A legislação exige que os trabalhadores de canteiros de obras recebam um treinamento admissional em NR-18, a norma regulamentadora do Ministério do Trabalho e Emprego que prevê condições de Saúde e Segurança do Trabalho para todos os colaboradores na indústria da Construção Civil.

Porém, no caso específico de as valas terem mais de 1,25 metros de profundidade, elas já se enquadram como Espaços Confinados – e passam a valer as recomendações da NR-33, medidas de Segurança do Trabalho neste contexto.

A Beta Educação permite que seus colaboradores estejam qualificados e autorizados para trabalhar em valas com mais de 1,25 metros de profundidade através da Capacitação em NR-33.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.