Extintores de Incêndio: conheça seus principais componentes

Um dos principais componentes na prevenção de incêndio são os extintores de incêndio. Por conta disto, é muito importante que os gestores e técnicos em Segurança do Trabalho conheçam os seus principais componentes para saber utilizá-los em casos de acidente e riscos com fogo.

Os extintores foram criados em 1813, por um militar inglês chamado George William Manby, em Edimburgo, na Escócia. Desde então, graças a aspectos técnicos desenvolvidos para melhorar a performance em situações de incêndio, eles foram desenvolvidos dentro de aparelhos cilíndricos com ar comprimido e com soluções para diferentes tipos de incêndio.

>> Conheça quais são os principais extintores de incêndio e as suas funcionalidades no nosso artigo sobre o tema <<

Quando o assunto é sobre noções de combate ao fogo, ninguém espera passar por uma situação em que precise utilizar um extintor de incêndio. Porém, como essa é uma realidade presente em diversos locais de trabalho, é de suma importância que os trabalhadores que estejam exposto a esses riscos conheçam a fundo o equipamento e saibam como utilizá-lo.

extintores de incêndio

Pensando nisso, neste post trazemos algumas informações sobre os principais componentes que a maior parte dos extintores de incêndio têm em comum. Para este caso em específico, tratamos do extintor de incêndio a base de CO2, o mais comum para casos de incêndio de pequena e média proporções envolvendo líquidos inflamáveis. Confira:

Principais componentes externos de um extintor de incêndio

Lacre, Pino ou Trava de Segurança e Manômetro

Enquanto o lacre serve como uma espécie de garantia para identificar que o extintor nunca foi utilizado, além de ser uma prova de que o extintor tem qualidade ou validade, o pino ou a trava de segurança tem o objetivo de evitar acionamentos acidentais na hora de transportar o extintor. Ele é o primeiro objeto que deve ser removido para que se possa utilizar o extintor.

Já o manômetro tem a finalidade de mensurar se o equipamento está com pressão, ou seja, se está pressurizado ou não. Ele indica a operacionalidade do equipamento – caso esteja marcando a pressão durante o uso, está em perfeito funcionamento. Por isso, durante o manuseio de um extintor de incêndio, é sempre importante verificar se os indicadores do manômetro estão se movimentando.

Atenção: quando o lacre estiver rompido, isto significa que o extintor de incêndio não tem validade perante os bombeiros ou o Ministério do Trabalho. Além disso, o rompimento do lacre por pessoa não autorizada suspende imediatamente a garantia do extintor. Nessas situações, é recomendável procurar a empresa certificada que fez a manutenção para fazer a inspeção e a posterior relacração do equipamento.

Alça de Transporte e Mangueira

Durante uma situação de incêndio, é fundamental que a pessoa responsável pela extinção do fogo esteja a uma distância considerada segura da região do fogo para que não sofra nenhum tipo de queimadura. Por isso, os extintores de incêndio são equipados com uma alça específica de transporte e uma mangueira para onde será direcionado o jato do material para acabar com as chamas.

Ao longo do treinamento específico sobre noções de combate ao incêndio, são dadas as instruções sobre como deve ocorrer o manuseio tanto da alça de transporte quanto da mangueira dentro de uma distância segura dos focos de incêndio. Por isso, investir em treinamento para os seus colaboradores que estão expostos a riscos de incêndio no ambiente de trabalho.

Gatilho, Recipiente, Base e Pintura

O gatilho é o elemento utilizado para acionar o extintor. Ele geralmente está localizado junto à alça de transporte. Enquanto a maior parte dos extintores são em formato cilíndrico, a parte externa é formada por uma camada que serve para armazenar o agente interior no recipiente, como o dióxido de carbono pressurizado. A base, que é a “casca” externa dos extintores de incêndio, tem a finalidade de apoiar o extintor para, assim, mantê-lo de pé.

Principais componentes internos de um extintor de incêndio

  • Agente Extintor: É o produto químico ou água que é capaz de apagar o fogo;
  • Pressurizante: Geralmente serve para expulsar o agente extintor do recipiente;
  • Sifão ou Pescador: É o elemento que conduz o agente extintor desde o interior do recipiente para a válvula de descarga.

Elementos de segurança de um extintor de incêndio

Rótulo, Classe de Incêndio e Instruções

Esse é um adesivo colado em uma parte visível do extintor de incêndio com elementos gráficos que indicam para qual(is) tipo(s) de extinção de fogo o extintor em questão serve. Logo abaixo, encontra-se um rótulo onde é possível ver as especificações técnicas do extintor de incêndio, bem como o seu conteúdo. Ao lado, geralmente em cor amarela, estão também as instruções de como utilizá-lo.

>> Saiba quais são os principais tipos de incêndio no nosso artigo sobre o tema <<

>> Conheça os 3 principais métodos de extinção de fogo revisitando o nosso artigo <<

Selo do INMETRO

Agora, entramos em uma parte fundamental para garantir que o extintor de incêndio tem qualidade. Quando este tem um selo do IMNETRO, significa que é possível utilizar em residências, apartamentos, indústrias e empresas de pequeno e médio porte, além de outros lugares onde há a circulação constante de pessoas.

Esse selo é indispensável para quando é feita a inspeção dos lugares, especialmente em locais de trabalho, pelo Corpo de Bombeiros. Como veremos a seguir, essa inspeção costuma ser periódica, e por isso é papel do gestor estar atento a esses detalhes sobre os extintores de incêndio presentes no local de trabalho.

Ficha de Inspeção

Em termos de Segurança do Trabalho, a Ficha de Inspeção é um dos elementos mais essenciais dos extintores de incêndio. As inspeções devem ser realizadas periodicamente, e elas são: as de 1º nível, onde são feitas inspeções técnicas e no local onde o extintor está instalado, e as de 2º e 3º níveis, onde são realizadas a revisão total do extintor de incêndio, incluindo um ensaio hidrostático que verifica vazamentos e a resistência do extintor.

A frequência dessas inspeções costuma ser de 6 em 6 meses para extintores com carga de dióxido de carbono (CO2). Já cilindros para gás expelente (ampolas) e extintores de pressurização indireta, costuma ser de ano em ano. Na Ficha de Inspeção, deve constar, dentre outros dados, a data de inspeção, e se estão em conformidade a identificação, a carga/recarga, o lacre, o manômetro, se está bem fixado e protegido de intempéries, e se é realmente adequado para a classe de fogo em questão, bem como se os colaboradores estão aptos para o uso.

Neste link é possível verificar uma Ficha de Inspeção comum, com os dados geralmente requisitados, para a Inspeção de Segurança em Extintores.

A Beta Educação acredita que apenas através de uma boa educação sobre os componentes dos equipamentos para Extinção do Fogo que acidentes com incêndios nos locais de trabalho podem ser evitados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.