Quais são os principais tipos de incêndio?

A proteção contra incêndios é algo mais complexo do que se parece. Antes de entender o porquê do uso de equipamentos essenciais de proteção ou dos treinamentos, como o de Noções de Combate ao Incêndio ou de NR-20, é preciso compreender o que pode ser considerado como incêndio e como ele se forma a partir de conceitos químicos.

Mas afinal, para que saber dessas questões que a princípio parecem tão supérfluas?

Quando um ambiente de trabalho é repleto de materiais inflamáveis, a conscientização do que é fogo e como ele se forma é muito importante para evitar possíveis incêndios. Dessa forma, não apenas os gestores como também os colaboradores podem se policiar e evitar acidentes perigosos.

Conceito de fogo

Antes de mais nada, precisamos entender o que é o fogo e como ele se forma. O fogo nada mais é do que um processo químico de transformação que elimina luz e calor devido à combustão de materiais diversos.

A combustão, por sua vez, só ocorre devido a um processo de reação em cadeia que se dá a partir do ponto de combustão. Você lembra daquela brincadeira com peças de dominó, quando criávamos uma fila em pé e derrubávamos todos, um por um, a partir do momento que empurrávamos a primeira peça? Então, é mais ou menos assim que o fogo é gerado.

Assim como uma fila de dominós caindo, o processo de combustão gera o fogo que mais tarde irá produzir um possível incêndio.

A primeira peça desse dominó é a criação de uma chama. Quando essa chama é criada e colocada em contato com algum combustível, o fogo tende não apenas a permanecer, como também a se proliferar. A esse momento, nós chamamos de ponto de combustão. Esse ponto é caracterizado pela temperatura mínima para que um combustível desprenda vapores ou gases inflamáveis em contato com o oxigênio do ar e a chama de fogo.

Assim, mesmo que se retire a chama, o fogo não vai se apagar, pois essa temperatura faz gerar do combustível um processo de transformação em cadeia que não deixa o fogo se esvair.

Os combustíveis são todos os materiais que queimam. Eles podem ser:

  • Sólidos: como a madeira, o papel, o algodão, etc.
  • Líquidos: que podem ser aqueles voláteis, capazes de se desprender à temperatura ambiente, como álcool, éter e benzina, ou não-voláteis, que só se desprendem a temperaturas maiores do que a do ambiente, como óleo e graxa.
  • Gasosos: neste caso, são geralmente concentrados, como em botijões de gás. São compostos, geralmente, por butano, propano e etano.

Como o fogo se propaga?

Agora que você já entendeu como o fogo se forma, é preciso compreender as maneiras como o fogo se alastra antes de vermos quais são os principais tipos de incêndio.

Em linhas gerais, o fogo pode se preparar de três maneiras:

  1. Pelo contato da chama com outros combustíveis;
  2. Por meio do deslocamento de partículas incandescentes;
  3. Pela ação do calor.

Quando o assunto é calor, ele pode se formar a partir da seguinte forma: quando há um processo de combustão, como visto anteriormente, ou por meio do atrito entre os corpos. Existem três tipos de transmissão do calor:

• Por condução

Esse é um dos tipos mais comuns. O calor, nesse caso, é propagado por contato com o próprio material, de molécula a molécula, ou de corpo a corpo. A condução vai depender muito do tipo de material pelo qual o fogo é conduzido, por exemplo se for por um palito de madeira, como na foto, a condução do calor pode não ser tão instantânea quanto em um metal.

• Por convecção

Neste caso, o calor e o fogo se propagam através de massas de ar aquecidas, carregando as chamas para outros pontos e criando outros focos de incêndio a partir dos novos combustíveis que essa chama se encontrar. Geralmente, esse tipo de propagação acontece mais em caso de incêndios em prédios e em tubulações, onde o fogo tem um canal para se propagar.

• Por irradiação

Neste caso, o fogo e o calor se propagam por meio de ondas caloríficas e sem o intermédio de nenhum meio material. É o caso, por exemplo, de incêndios que passam de construção a construção sem que haja necessariamente um canal por onde o fogo seja transmitido. A irradiação geralmente acontece em determinadas circunstâncias temporais, como quando por exemplo o tempo está muito seco.

Quais são os tipos de incêndio?

Agora que você já aprendeu como o fogo se propaga e como se forma um possível incêndio, vamos conhecer quais são os principais tipos de incêndio que existem. Essa classificação de incêndios foi criada pela National Fire Protection Association, e é atualizada regularmente.

Atualmente, a classificação que está em vigor é a NFPA 10:2018, que serve como padrão para extintores de fogo portáteis em todo o mundo. Para uma categorização mais coerente, os tipos de incêndio são divididos de acordo com seus combustíveis, ou seja, a natureza dos materiais que se está queimando.

>> Saiba quais são os 3 principais métodos de extinção de fogo <<

A partir desse documento, podemos distinguir cinco tipos diferentes de incêndio:

Classe A

Os incêndios de Classe A caracterizam-se por fogo em materiais sólidos, e geralmente deixam resíduos como brasas e cinzas. Esse tipo de incêndio queima em superfície e com profundidade e só é extinto pelo método de resfriamento e também por abafamento através de jato pulverizado.

Classe B

Os incêndios de Classe B acontecem em líquidos inflamáveis, como graxas e gases combustíveis. Queimam em superfície, não costumam deixar resíduos e geralmente são extintos pelo método do abafamento.

Classe C

Esse tipo de incêndio de classifica pelo fogo em materiais e equipamentos energizados, geralmente equipamentos elétricos. Importante ressaltar que a eletricidade em si não pode ser considerada como um combustível, e sim uma fonte de ignição.

Para extinguir um incêndio de Classe C, é preciso de um agente extintor não-condutor de eletricidade, e nunca com extintores de água ou espuma. O passo mais importante num incêndio de classe C é desligar o quadro de força energética, pois assim ele se tornará Classe A ou B.

>> Confira aqui 10 prevenções eficientes para evitar choques elétricos para eletricistas e não-eletricistas <<

Classe D

Os incêndios de Classe D têm como combustível os materiais pirofóricos, como o magnésio, o selênio, o antimônio, o lítio, o potássio, o alumínio fragmentado, o zinco, o sódio, o urânio, o titânio e o zircônio.

Geralmente, esses elementos só queimam com elevadas temperaturas e alguns até reagem à água. São mais difíceis de apagar do que os demais tipos de incêndio e só podem ser apagados pelo método do abafamento.

Classe K

Estes são os incêndios que envolvem os meios de cozinhar, como a banha, a gordura e o óleo. Os incêndios de Classe K requerem agentes especiais, como extintores químicos úmidos e sistemas que são alcalinos por natureza e têm recursos de resfriamento superiores.

A massa inteira do meio de cozimento em uma fritadeira deve ser protegida e resfriada abaixo de seu ponto de autoignição para alcançar a extinção completa. Assim, para extinguir esse tipo de incêndio é preciso abafar/saponificar o material, para que então haja a refrigeração.

>> Saiba quais são os principais extintores de incêndio no mercado e quais são suas funcionalidades <<

Agora que você aprendeu quais são os principais tipos de incêndio, é hora de saber como prevenir a sua empresa ou organização desse tipo de incidente.

A Beta Educação oferece cursos de treinamento para os seus colaboradores, como o de Noções de Combate ao Incêndio, o curso básico de NR-20, destinado a pessoas que trabalham expostas a líquidos inflamáveis e combustíveis, o curso intermediário de NR-20, voltado a profissionais das áreas de extração, produção, armazenamento de inflamáveis e líquidos combustíveis, e o curso de reciclagem em NR-20 Básico.

Nós, da Beta Educação, valorizamos o aprendizado do combate ao incêndio dentro das empresas para facilitar a saúde e a segurança de todos os trabalhadores.

Deixe seu comentário