NR-26: 6 elementos de rotulagem preventiva para segurança no manuseio com produtos químicos

Você já sabe sobre o que se trata a NR-26? Essa norma está ligada à Sinalização de Segurança, e indica cores e sinais de segurança que as empresas e seus empregados devem estar atentos para evitar acidentes.

Na sinalização apontada pela NR-26, encontramos uma padronização que todas as organizações devem seguir para não haja confusão quanto a possíveis medidas contra riscos de acidentes. A norma também estabelece princípios que dizem respeito à rotulagem de produtos químicos nocivos à saúde.

>> Saiba mais sobre o que se trata e qual a utilização da NR-26 no nosso artigo <<

Mais especificamente no item 26.2.2 do texto que saiu na Portaria 3.214/1978, sobre a NR-26, é enfatizada a utilização dos procedimentos definidos pelo Sistema Globalmente Harmonizado de Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos (GHS), definido pela Organização das Nações Unidas, para classificar elementos químicos potencialmente perigosos à saúde e segurança dos trabalhadores.

Mas, afinal, o que significa Rotulagem Preventiva?

Assim como nós vamos a uma bula de remédio quando queremos saber sobre o que ele se trata e quais são os possíveis efeitos colaterais, os produtos químicos aos quais os colaboradores e gestores de empresas estão diariamente expostos necessita ter uma indicação para evitar riscos maiores – especialmente se são produtos com algum grau de toxicidade.

A Rotulagem Preventiva trata de um conjunto de elementos com informações escritas, impressas ou gráficas, relativas a um produto químico, que deve ser afixada, impressa ou anexada à embalagem que contém o produto.

De acordo com a Norma, alguns elementos são essenciais para que a Rotulagem Preventiva seja feita corretamente, dentre os quais, podemos destacar:

a) Identificação e composição do produto químico

Trata-se do nome comercial e do nome técnico do produto conforme utilizado na FISPQ. Neste caso, o rótulo do produto químico perigoso deve conter o(s) número(s) de telefone de emergência do fornecedor para oferecer suporte em situações de emergência, apontando, assim, informações sobre segurança, saúde (incluindo informações toxicológicas) e meio ambiente.

b) Pictograma(s) de perigo

Um pictograma diz respeito a um conjunto de elementos gráficos, incluindo símbolos, que representa a classe de perigo associada ao produto. Se, por exemplo, o produto químico em questão é inflamável, a imagem de um fogo ou incêndio é um pictograma para indicar esse risco.

Esses elementos são padronizados em formas e cores – o pictograma deve ter forma quadrada, o símbolo deve ser preto, o fundo branco e a borda, vermelha.

c) Palavras de advertência

Neste caso, as palavras de advertência servem para indicar a maior ou menor gravidade de perigo, e para alertar ao leitor do rótulo um possível risco de acidente. Em geral, as palavras de advertência costumam ser “perigo” e “atenção”. Enquanto a primeira é utilizada para as categorias mais graves de perigo, a segunda é reservada para as menos graves.

d) Frase(s) de perigo

No caso das frases de perigo, estas costumam descrever a natureza do perigo, como por exemplo “líquido e vapor altamente inflamável”. São representadas pela letra “H” – do inglês, hazard – e uma sequência de três algarismos.

e) Frase(s) de precaução

Essas frases servem para minimizar ou prevenir efeitos adversos resultantes da exposição aos produtos perigosos oriundos da manipulação ou armazenagem inadequada dos mesmos. Também são representadas por código que, neste caso, iniciam com a letra “P” – do inglês, precautionary – seguida por uma sequência numérica de três algarismos.

f) Informações suplementares

Neste caso, o rótulo do produto químico perigoso deve conter a seguinte frase: “A Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos deste produto químico perigoso pode ser obtida por meio de…”, onde se segue com outras informações de segurança relevantes sobre o tal produto.

E caso o produto químico não seja perigoso, o que é necessário conter para informar os trabalhadores de acordo com a NR-26?

No caso dos produtos químicos que não apresentem algum tipo de perigo iminente para a saúde e segurança dos colaboradores, de acordo com a GHS, estes devem dispor de rotulagem preventiva simplificada que contenha, no mínimo:

  • Indicação do nome;
  • Informação de que se trata de produto não classificado como perigoso e;
  • Recomendações de precaução;
  • FISPQ (Ficha com Dados de Segurança de Produto Químico).

Todos esses pormenores sobre Rotulagem Preventiva são abordados no curso de capacitação de NR-26, e evita que os colaboradores possam entrar em contato com produtos químicos de maneira inadequada ou inadvertida.

A Beta Educação se preocupa com a saúde e segurança dos trabalhadores que diariamente se expõem a produtos químicos potencialmente perigosos.

Deixe seu comentário