Qual a importância da Gestão de Riscos para operadores de empilhadeiras

Falar sobre Gestão de Riscos para operadores de empilhadeiras é fundamental. Isto porque diariamente milhões de toneladas de mercadorias são movimentadas em todo o mundo, tornando a atividade essencial para muitos setores da economia.

Da mesma forma que há muitas operações ocorrendo todos os dias, a quantidade de acidentes neste tipo de trabalho costuma ser cada vez maior. Do ponto de vista operacional, isso afeta não apenas a saúde e segurança dos colaboradores, mas também a rotina das empresas, atrasando entregas e diminuindo as vendas.

>> Saiba mais sobre as empilhadeiras e seus riscos no local de trabalho no nosso artigo <<

O que são as empilhadeiras?

Antes de adentrarmos na questão da gestão de riscos, vamos falar sobre o que exatamente se configura enquanto empilhadeira. Estes são equipamentos que são considerados veículos industriais, e são comumente utilizados no transporte e na movimentação de cargas.

As empilhadeiras são encontradas geralmente em depósitos e supermercados atacadistas, com o objetivo de facilitar o trabalho logístico. Como esses negócios trabalham diretamente com a carga e descarga de mercadorias e produtos, esses equipamentos são essenciais para que os colaboradores não precisem usar um esforço humano descomunal.

empilhadeiras
Dependendo do modelo, as empilhadeiras são capazes de movimentar cargas que variam entre 1.000 e 16.000 kg, que a capacidade humana não seria capaz.

>> Conheça mais equipamentos de movimentação de cargas no nosso artigo <<

O que é a Gestão de Riscos?

Assim como qualquer equipamento, o mau manuseio das empilhadeiras pode levar a acidentes e trazer riscos tanto para quem as opera quanto para quem está nas imediações.

Por conta da existência deste fator, a Gestão de Riscos surge como uma maneira de administrar os fatores críticos que podem causar variações indesejadas nos resultados dos processos de movimentação de cargas.

Neste sentido, para formular uma Gestão de Riscos eficiente, é necessário inicialmente fazer uma priorização dos objetivos mais importantes para a organização. Assim, é possível monitorar os riscos mais críticos que devem tomar a atenção dos gerentes.

>> Por que ficar atento ao Mapa de Riscos na sua empresa? Saiba no nosso artigo <<

Mais recentemente, duas Portarias foram alteradas para enfatizar a necessidade da criação de planos de Gestão de Riscos para as empresas: a Portaria 6.730/2020, que indica que as empresas devem ter disponíveis um Plano de Gerenciamento de Riscos em suas instalações a partir da NR-1, e a Portaria 6.735/2020, a qual destaca a importância da criação de um inventário de riscos da empresa, bem como um Plano de Ação para mitigar essas ameaças a partir da NR-9.

>> Conheça melhor essas mudanças e sobre o Plano de Gerenciamento de Riscos no nosso artigo <<

Por conta da importância deste tema, neste artigo trataremos sobre a importância da Gestão de Riscos com relação à operação de empilhadeiras.

Como realizar uma Gestão de Riscos eficiente para operadores de empilhadeiras?

A atividade de operação de empilhadeiras se torna uma função essencial para a logística de cargas dentro de um número diverso de atividades.

Como dito anteriormente, hoje em dia a Norma exige que as empresas implementem um Plano de Gerenciamento de Riscos (PGR) em suas ações para mitigar acidentes – e nos ambientes de trabalho com empilhadores de carga, isso não é diferente.

Existem dois tipos de riscos básicos que os operadores de empilhadeira devem estar atentos:

  1. Erros humanos: são as falhas relativas a acidentes que envolvem a movimentação de cargas pelas empilhadeiras. Geralmente estão relacionados à imperícia ou falta de conhecimento técnico sobre esses equipamentos;
  2. Erros materiais: já neste caso, são falhas que dizem respeito à colisão ou à queda dos materiais que estão sendo movimentados. Neste caso, afetam não apenas o operador, como a operação em si e quem está ao seu redor.

Levando em consideração esses riscos, é importante seguir os seguintes passos para fazer uma Gestão de Riscos eficiente para operadores de empilhadeiras:

I. Levantamento de perigos e riscos

Primeiramente, deve se levantar perigos e riscos dentro do ambiente de trabalho onde estão inseridos os operadores de empilhadeiras. Os perigos são conhecidos como a ocorrência dos riscos em si, como por exemplo:

Risco Ambiental – O perigo diz respeito à emissão de poluentes pelo motor da empilhadeira;

• Risco de Integridade Física – O perigo é o de elevação de cargas em ambiente com tráfego de pessoas;

• Risco Financeiro – O perigo está na utilização da empilhadeira em seu limite de resistência.

II. Mapeamento de riscos inerentes

Em seguida, é importante fazer um mapeamento de riscos que estão diretamente ligados à operação de empilhadeiras. Para cada risco, é essencial também indicar uma ação preventiva como forma de mitigar os perigos.

A seguir damos alguns exemplos de como pode ser feito esse mapeamento:

– Para a operação de elevação de carga, existe o risco inerente de queda dos materiais. Como maneira de combater isso, uma ação preventiva pode ser a verificação do encaixe dos pallets;

– No caso da operação de movimentação de cargas elevadas, o risco mais inerente é o de colisão ou tombamento. Para combater isso, uma ação preventiva pode ser a verificação da capacidade do equipamento e um tráfego limitado às áreas demarcadas;

– Com relação à operação de disposição de cargas, o risco inerente é o de colisão, que pode ser minimizado por meio de uma ação preventiva de demarcação de áreas de disposição e sinalização das instalações.

III. Desenvolvimento de Planos de Ação

Por fim, depois que todas as operações foram mapeadas e os seus devidos riscos listados, é necessário criar um Plano de Ação para mitigar ou minimizar os acidentes para os operadores de empilhadeiras.

Como princípio norteador, esses planos deverão ter metas claras, indicadores estabelecidos e processos de cobrança e verificação bem ajustados. Além disso, indicamos que esse processo de verificação seja sempre referenciado por evidências de atendimento às normas estabelecidas, como um ticket com assinatura que contenha data e hora de conferência.

Conclusão

A operação de cargas é uma atividade fundamental para a economia global. Neste sentido, os operadores de empilhadeiras são profissionais fundamentais para que a logística de qualquer empresa funcione normalmente.

Embora muitas vezes isso não seja aparente, essa atividade costuma ter muitos riscos, visto que há o trânsito de toneladas de materiais em suspensão pouco acima da cabeça dos colaboradores.

As empresas que lidam com a movimentação de cargas através desses equipamentos devem investir em planos de Gestão de Riscos para criar procedimentos com o objetivo de mitigar esses perigos entre esses colaboradores.

A Beta Educação compreende que a operação de empilhadeiras é um trabalho fundamental para a movimentação de cargas e é importante que as empresas se atentem à gestão de riscos de processos que envolvem o equipamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *