Especial: A Ergonomia muito além de seu conceito

  • 2199 visualizações

No post de hoje apresentaremos o conceito da ergonomia e a partir dele tecer alguns comentários sobre o termo e sua aplicação nas empresas. Vamos lá?

A ergonomia pode ser definida de acordo com o dicionário Aurélio como a “ciência que visa à organização metódica do trabalho em função do fim proposto e das relações entre homem e a máquina” (Aurélio, p. 298, 2010). Desta forma, pensando na maior produtividade do trabalhador e em seu bem-estar, uma das atribuições do Técnico em Segurança do Trabalho é pensar e levar em consideração um ambiente de trabalho onde as condições sejam favoráveis para a saúde física e psicológica dos trabalhadores.

É conhecido que atualmente existem diversos modelos de empresas e também que estas possuem várias formas de manter o trabalhador em um ritmo de trabalho produtivo e saudável.
Bem, claro que não devemos pensar estes novos modelos de maneira generalizada, visto que, grande parte das empresas ainda vivem um processo de adaptação e estudos a fim de aumentar a produtividade, seja melhorando as condições do trabalhador ou incrementando e produzindo novos maquinários.

Podemos classificar nos estudos da ciência ergonômica três aspectos principais: ergonomia física, operacional ou organizacional e cognitiva.

Começaremos pelo aspecto mais conhecido que é a ergonomia física. Não entraremos nas questões didáticas da ergonomia, visto que aqui ela será apresentada apenas de forma técnica, sua importância e relevância.
A ergonomia física é a que leva em consideração a postura e a forma de manuseio dos materiais de trabalho. Esta talvez seja a mais conhecida de todas, pois é pensada e apresentada no dia a dia em programas de televisão, cursos sobre produtividade e bem-estar, e, também na produção de produtos e equipamentos em geral.

Ela está estritamente ligada ao gerenciamento da condição física do trabalhador, pois, é a partir da ergonomia física que se mantém as condições necessárias para um trabalho de longas horas e maior produtividade principalmente na indústria.

No Brasil a NR-17 é a norma regulamentadora das condições físicas de trabalho. É de conhecimento que a regularização e valorização do ambiente de trabalho e do trabalhador é de suma importância, visto que boas condições de trabalho são peças fundamentais para o desenvolvimento do trabalho seguro, visão esta que vem evoluindo desde a primeira revolução industrial (1760) até o presente.

Ergonomia Operacional ou Organizacional

Pode ser definida como aquela que atribui o melhoramento das operações e otimização dos sistemas, visando a rapidez nos processos e a facilitação da integração dos funcionários.
A ergonomia operacional atua nas relações, principalmente entre os trabalhadores, a gestão e a liderança. Ela está ligada principalmente as funções de operação e produtividade e talvez possa ser considerada a mais importante, pois, pensa não somente no trabalhador, mas também nas funções necessárias na empresa e que devem ser realizadas de maneira rápida e eficaz e segura dentro da empresa.

Veja também:
https://betaeducacao.com.br/ginastica-laboral-em-escritorios-acredite-sua-empresa-deveria-implantar/

Ergonomia Cognitiva

A ergonomia cognitiva é aquela que se propõe a avaliar e intervir em questões que podem intervir no nível mental dos funcionários. Avaliando o raciocínio e as respostas motoras do funcionário principalmente, ela busca atuar efetivamente na melhoria das relações entre os colegas e a liderança.

Podemos também a ver como uma ferramenta que busca a manter a maior confiabilidade do trabalhador no manuseio dos equipamentos a qual foi treinado, na tomada de decisões e também visa diminuir o estresse proveniente da rotina de trabalho.
Um exemplo que podemos utilizar para pensar a importância desta forma de ergonomia, principalmente nas empresas de grande porte é o seguinte: um trabalhador necessita manipular uma grua diariamente e carregar grandes cargas a todo momento, não podendo perder a atenção ou equilíbrio mental. Uma atividade como essa exige além de concentração um bom estado emocional e psíquico do trabalhador pois uma mera distração ou preocupação pode causar um acidente e colocar em risco a vida de muitos outros envolvidos.

Assim, podemos concluir que a ergonomia pode ser utilizada e aplicada como uma ferramenta afim de manter as condições de trabalho e os trabalhadores produtivos.

Atualmente a ergonomia está sendo levada cada dia mais a outros patamares, deixando de ser uma condição favorável apenas para o empregado como também para o empresário, visto que quanto maior a produtividade e bem-estar do trabalhador menores são as chances de afastamento, desligamento e necessidade de rotação excessiva de funcionários num curto espaço de tempo.

Veja também:
https://betaeducacao.com.br/dicas-de-ergonomia-nas-empresas/

E então, como andam as ações de ergonomia na sua empresa? Compartilhe conosco e colabore na difusão destes conhecimentos a todos.

Gostou de nosso conteúdo? A Beta Educação possui muitos outros conteúdos educativos e informativos da área de saúde e segurança do trabalho. Visite nosso blog e fique sempre informado.

Já conhece nossa plataforma de treinamentos? Clique em: Quero falar com um consultor da Beta Educação que ficaremos muito felizes em conversar com você!