EPIs para profissionais que trabalham com eletricidade: quais são e qual sua importância

É de senso comum que qualquer atividade que possa causar algum dano físico ao trabalhador deve ser executada com os já conhecidos Equipamentos de Proteção Individuais, as EPIs – e as atividades elétricas, que costumam ter um alto grau de periculosidade, não são diferentes.

As instalações elétricas podem causar uma série de danos a quem trabalha com isso, desde queimaduras, pequenas explosões e, em casos mais graves, até mesmo incêndios. Por conta disso, existem uma série de normas que apontam o uso de EPIs como uma obrigatoriedade entre esses colaboradores – com a NR-6 e a NR-10, no caso específico desses profissionais.

>> Você conhece as principais causas de acidentes com eletricidade? Confira no nosso artigo <<

Antes de irmos direto ao assunto, que é sobre quais são os EPIs que os profissionais eletricistas devem estar atentos ao longo da sua jornada de trabalho, é importante frisar uma questão: legalmente, são os empregadores que devem oferecer aos seus empregados esses equipamentos de forma gratuita, junto com um Certificado de Aprovação (CA) e dentro do prazo de validade.

Os principais equipamentos de proteção para esses profissionais são:

1. Capacete de segurança Classe B

Imagem: SafetyTrab

Esses capacetes são amplamente utilizados por trabalhadores da construção civil, e servem tanto para proteger a cabeça contra ferimentos causados pela queda de objetos volumosos e, neste caso, principalmente contra eventuais descargas elétricas.

2. Botinas

Imagem: Orcopom

O contato entre a pele dos trabalhadores de energia elétrica e qualquer parte metálica – ou mesmo o chão, em alguns casos – pode ser fatal. Por isso, as botinas são tão importantes para esses profissionais.

É importante ressaltar, no entanto, que elas não são botinas comuns, e devem ser específicas para o trabalho com materiais condutores de eletricidade: não devem conter nenhuma parte metálica, precisando ser sempre de material isolante, e devem proteger os pés contra queda de objetos e perfurações.

3. Luvas de borracha

Imagem: Ecobrasmil

Assim como os pés devem estar protegidos para evitar descargas elétricas, as mãos, que costumam ser os principais membros que os eletricistas utilizam ao manusear fios e demais condutores, precisam estar devidamente vedadas.

No geral, o material utilizado deve ser a borracha: isso porque é o melhor isolante de eletricidade, evitando assim, choques e eletricidade. Em ocasiões onde se existe mais riscos, é importante ainda usar qualquer outro material isolante por baixo para o caso de evitar arcos elétricos.

4. Manga isolante de borracha

Imagem: Mercado Livre

Como dito anteriormente, apesar de as pontas da superfície corporal geralmente serem as que mais estão expostas ao risco das correntes elétricas, o restante do corpo também precisa estar protegido. As mangas isolantes de borracha têm a função de isolar a eletricidade nos braços, que também ficam muito expostos ao perigo.

5. Cintos de segurança com talabarte

Imagem: CONECT

É muito comum que os trabalhos com eletricidade sejam feitos em altura. Os cintos de segurança e talabartes são dispositivos necessários em trabalhos realizados a uma altura superior a dois metros de altura, sendo que o talabarte é o elo de conexão entre o suporte do corpo e um ponto de ancoragem.

Esse é o caso de eletricistas que precisam trabalhar posicionados em postes, ou em torres de telecomunicações e antenas. O comprimento não deve ser menor que 1,5 metros para não limitar o movimento do trabalhador.

>> Saiba mais sobre segurança do trabalho em altura: riscos, prevenção e melhores práticas <<

6. Protetor facial contra arco elétrico

Imagem: SoloStocks

Diferente dos protetores faciais utilizados por profissionais que trabalham com solda, esses protetores contra arcos elétricos não apenas contemplam a proteção contra UVA e UVB, que são os raios solares, mas também os raios infravermelhos quando na ocorrência desses arcos.

Além disso, esses protetores faciais específicos para o trabalho elétrico costumam contar com um protetor de queixo que aumenta de 8 Kcal para 10 Kcal a proteção do trabalhador em situações de risco elétrico.

Esses equipamentos são essenciais para evitar acidentes como choques elétricos, queimaduras e arcos elétricos. Uma vez disponibilizados pelas empresas, é dever dos colaboradores utilizá-los no dia a dia de trabalho. O não uso desses equipamentos podem ocasionar em advertências, ou mesmo a demissão por justa causa.

A Beta Educação se preocupa com a saúde e segurança de profissionais eletricistas, e por isso recomenda veementemente que sejam feitos os cursos de capacitação para o uso de equipamentos (NR-6), e sobre riscos de trabalho com eletricidade (NR-10).

Deixe seu comentário