Cozinhas Industriais: os riscos e a importância do uso de Equipamentos de Proteção

As Cozinhas Industriais são ambientes de trabalho com alto grau de periculosidade devido a riscos de acidentes entre os colaboradores que nelas trabalham. Por conta disto, existe uma importância sacral na distribuição e no uso adequado de Equipamentos de Proteção, sejam eles Coletivos ou Individuais, por parte dos empregadores aos empregados deste setor.

Além desta ser uma medida inteligente, é uma obrigação por parte dos empregadores em setores com grau de periculosidade de acordo com a Norma Regulamentadora Nº6, mais conhecida por NR-6, que versa sobre o uso, manutenção e troca periódica de EPIs nas organizações como medida de Segurança do Trabalho.

>> Conheça qual é a periodicidade de troca de EPIs no nosso artigo sobre o tema <<

Se nas cozinhas tradicionais, como as residenciais, o risco de acidentes já é comum – seja em questão de queimaduras ou da imperícia no uso de instrumentos cortantes – nas Cozinhas Industriais, onde o ritmo acelerado faz com que a movimentação de pessoas seja constante, isso é potencializado.

Conhecer bem os riscos deste ambiente de trabalho é essencial para salvaguardar a Saúde e Segurança dos colaboradores, independente se você é um técnico em Segurança do Trabalho responsável pela fiscalização destes espaços, um gestor de Recursos Humanos preocupado com o bem-estar dos colaboradores, ou um administrador de uma empresa do ramo de serviços alimentícios.

A seguir, veremos os principais riscos aos quais os colaboradores de Cozinhas Industriais estão expostos diariamente.

Os riscos do trabalho em Cozinhas Industriais

De maneira geral, os acidentes mais comuns quando se fala no ofício em Cozinhas Industriais são: cortes, tombos ou escorregões e queimaduras. Isto porque os colaboradores que trabalham nesses espaços estão sempre expostos a temperaturas altíssimas, movimento constante e objetos cortantes.

cozinhas industriais

Vejamos alguns deles:

1) Queimaduras

Este costuma ser um dos riscos mais frequentes no trabalho em Cozinhas Industriais, se não o mais comum de todos. As queimaduras ocorrem em vários níveis – desde as mais leves até as mais graves.

O contato com comidas muito quentes, como no caso do uso de óleo para realizar frituras ou na aproximação acidental com equipamentos para cozinhar que estavam recentemente sob alta temperatura, são as razões mais comuns para a causa deste tipo de acidente.

2) Cortes, machucados e lesões

O uso diário de objetos pontiagudos e equipamentos cortantes, como facas, processadores, garfos, lâminas e outros equipamentos, podem ser considerados um risco para acidentes como cortes, machucados e lesões graves, em casos mais sérios.

Até mesmo os profissionais mais habilidosos estão sujeitos a este tipo de acidente, uma vez que a rotina de trabalho em Cozinhas Industriais costuma ser bastante agitada para que se possa atender a demanda muitas vezes crescente de pedidos.

3) Tombos e tropeções

Você deve estar pensando que a questão dos tombos, quedas e tropeções é comum em qualquer ambiente de trabalho, inclusive em escritórios. Isso é verdade até certo ponto, uma vez que dentro de Cozinhas Industriais, esse risco é maior devido ao fato de que é comum movimentação nestes espaços, além de muitas vezes o piso estar molhado com água, óleo ou gordura, e isso ser um agravante.

Inclusive, essa é uma comum dentro desses espaços de trabalho, visto que a ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, órgão que regula as exigências no que diz respeito ao espaço físico das cozinhas, aponta que esses lugares devem manter uma higiene constante de limpeza e higiene. Portanto, o risco de cair em um chão recém-lavado é grande, o que pode causar não apenas lesões simples, como fraturas mais complicadas.

Mas nem tudo são cravos quando o assunto é Segurança do Trabalho em Cozinhas Industriais. Esses riscos podem ser evitados com a atenção do gestor para questões de Segurança do Trabalho, como o uso de Equipamentos de Proteção Coletiva, as EPCs, e Equipamentos de Proteção Individual, as EPIs.

Abaixo, iremos identificar cada uma delas de acordo com sua especificidade e sua importância para o trabalho em Cozinhas Industriais.

Equipamentos de Proteção em Cozinhas Industriais

Em seu estudo sobre Riscos Ocupacionais e Condições de Trabalho em Cozinhas Industriais para a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Cheila Minéia aponta que

A diminuição da exposição aos agentes ambientais nestes espaços envolve a adoção de Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs) e de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) com o objetivo de neutralizar os riscos que comprometam a Segurança e a Saúde do Trabalhador.

Cheila Minéia, 2011

A pesquisadora ainda afirma que não basta apenas disponibilizar esses equipamentos aos empregados. É necessário também oferecer o treinamento adequado “com o intuito de manter e disseminar a segurança da equipe”.

Pensando nisso, separamos alguns dos principais Equipamentos de Proteção Coletivos e Individuais utilizados na indústria das Cozinhas Industriais para o conhecimento dos gestores e colaboradores desta área.

Equipamentos de Proteção Individual

Como dito anteriormente, os riscos de acidentes em Cozinhas Industriais são os mais diversos. Para que haja a manipulação segura dos alimentos, é recomendado o uso de jaleco com mangas cobrindo a totalidade da roupa pessoal, calças compridas, sapato fechado e touca cobrindo completamento os cabelos.

Dentre os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) mais importantes, a depender da função de cada funcionário, estão:

  • Luvas de Polipropileno: são essenciais para evitar queimaduras e diminuir os riscos com o contato com altas temperaturas;
  • Demais tipos de luvas: luva de vaqueta para manipulação em câmaras frias, luvas em malha de aço, luvas anticorte com fios de aço, luvas de látex, luvas térmicas, luvas nitrílicas, luvas de PVC e luvas de raspa;
  • Sapatos ou botas fechadas com solado antiderrapante.

Equipamentos de Proteção Coletiva

Mesmo com medidas que exijam o uso e a manutenção de EPIs, como a rotina em Cozinhas Industriais costuma ser bastante atribulada, se faz necessária também a implementação de Equipamentos de Proteção Coletiva – as EPCs. Separamos abaixo as principais delas, que asseguram a Saúde e Segurança do Trabalhador neste contexto laboral:

Pisos antiderrapantes:

  • Pisos Antiderrapantes: como dito anteriormente, um dos principais riscos de acidente em Cozinhas Industriais são as quedas e tropeções devido à constante limpeza do espaço. Por isso, essa é uma Proteção Coletiva que assegura que os funcionários não estejam expostos a esse perigo;
  • Placas de Sinalização: outra medida que costuma ser bastante eficiente são as placas de sinalização no espaço de trabalho das Cozinhas Industriais. Isso organiza melhor o ambiente e sinaliza por onde os funcionários devem ou não caminhar, o que devem tocar, e o que devem prestar atenção para evitar acidentes;
  • Sistemas de Exaustão: a instalação desses equipamentos melhora o conforto térmico e a qualidade do ar, especialmente em regiões onde se faz muito frio, ou muito calor. Não se esqueça que muitos desses colaboradores passam horas a fio nesses ambientes de trabalho, e se não houver um conforto térmico mínimo que seja, podem sofrer com desmaios, exaustão e outros sintomas mais graves a longo prazo.

É importante ressaltar que não basta apenas oferecer Equipamentos de Proteção com Certificado de Aprovação (CA) para os colaboradores, também é preciso treinar os funcionários para que eles possam ter perícia e habilidade na hora de utilizá-los.

A Beta Educação acredita que o investimento em Equipamentos de Proteção, sejam eles Individuais ou Coletivos, para funcionários de Cozinhas Industriais e seu devido treinamento são fundamentais para que não ocorram acidentes de trabalho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *