Como a medicina preventiva pode ajudar na segurança do trabalho?

De acordo com uma pesquisa realizada pela Harvard Business Review, 50% dos custos no setor de saúde são provenientes de pacientes com doenças crônicas, e 35% de pacientes com episódios agudos. Apesar do número considerável, apenas 5 a 14% dos investimentos das empresas são voltados à medicina preventiva.

A medicina preventiva foi criada em meados do século XX e, ao contrário dos demais campos da medicina, esse campo dá atenção ao tratamento preventivo de patologias. Mas como isso é feito? Através da antecipação de riscos e da conscientização do cultivo de hábitos saudáveis, principalmente.

No aspecto corporativo, a medicina preventiva acaba por ser uma maneira eficaz de promover a integridade física e mental dos trabalhadores. Técnicos, engenheiros, médicos e enfermeiros de segurança do trabalho são os agentes protagonistas nesse aspecto. Além destes, o próprio empregador pode ser um agente da medicina preventiva no ambiente de trabalho, investindo em equipamentos de proteção, palestras e minicursos.

>> Confira mais informações sobre o curso de Noções em Primeiros Socorros da Beta Educação <<

Além dessas soluções, existem algumas práticas específicas que um bom gestor pode adotar na sua empresa para manter a boa saúde de seus funcionários. Mas antes, vamos verificar porque a adoção de medidas de medicina preventiva são essenciais para a segurança do trabalho.

Motivos para uma boa implementação de medicina preventiva no ambiente de trabalho

Diminuição de custos com saúde

Quando um colaborador tem de se ausentar do local de trabalho por conta de um problema de saúde, geralmente os custos aumentam. Primeiro, porque é necessário que alguém cubra o seu turno, caso contrário a produtividade do dia não é alcançada e a organização pode ficar no prejuízo.

Independente disso, essas fatalidades sempre vão acontecer. Porém, com um planejamento de medicina preventiva adequado, as chances são cada vez menos prováveis. Mesmo se a empresa fornecer um plano de saúde, toda vez que o funcionário acionar para um exame, existe uma consequência financeira. Portanto, quanto menor for a necessidade, maior será a redução de custos.

Redução do absenteísmo e aumento da produtividade

A maior parte das doenças que acometem a humanidade na contemporaneidade são causadas por conta de maus hábitos, seja pelo sedentarismo, pelo consumo excessivo de álcool ou mesmo por má alimentação. Os efeitos dessa rotina são aqueles que já conhecemos: o colaborador começa a faltar o trabalho por conta de mal-estar ou sintomas cognitivos, ou quando vai, sua produtividade cai bruscamente.

Com uma boa estratégia de medicina preventiva no ambiente de trabalho, a conscientização da preservação de bons hábitos é potencializada, e esses eventos tornam-se exceções no ciclo de trabalho. Além disso, sabendo que a empresa preza pela qualidade de vida e o bem-estar no ambiente de trabalho, os trabalhadores ficam mais motivados para trabalhar e produzir com mais consistência.

Melhoria do clima organizacional e atração de novos talentos

Quando um funcionário sente que sua empresa tem interesse no seu bem-estar pessoal (seja ele físico ou emocional), seu laço com a organização se torna mais forte, bem como com os outros colaboradores. Muitos gestores podem não prestar atenção nesse fator, mas ele acaba sendo essencial na influência de comportamento, dos resultados obtidos e na imagem da organização.

Além disso, uma pesquisa realizada pela LoveMondays constatou que 58% dos profissionais consideram a qualidade de vida como um fator decisivo em suas decisões profissionais. Sendo assim, medidas preventivas atuam não apenas como remédio para a manutenção da equipe contratada, como também como um fator de atração para o capital intelectual da empresa.

Agora que você viu como a medicina preventiva pode ser positiva para vários aspectos da sua organização, muito além do controle de riscos, vamos ajudá-lo com maneiras de implementar na segura do trabalho da sua empresa.

Algumas práticas de medicina preventiva na segurança do trabalho

1. Levantamento de dados

Ter um histórico de doenças crônicas de seus colaboradores pode ser muito importante para saber quais tipos de tratamentos e prevenções podem ser aplicados dentro do ambiente de trabalho. A aplicação de questionários para uma base de dados, com histórico de consumo de álcool e/ou cigarro, rotina alimentar, práticas de atividades físicas e demais doenças crônicas é primordial para conhecer o perfil dos seus colaboradores e estudar as melhores ações.

2. Planejamento de estratégias

Após colhidos os dados, os gestores e técnicos de Segurança do Trabalho estão aptos a identificar o quadro geral de saúde e saber quais são as principais patologias e riscos físicos ou psicológicos que os colaboradores podem estar expostos. Lembrando que, quando um funcionário está constantemente acometido por situações de estresse no ambiente de trabalho, isso também pode ser um fator relevante para que possa obter doenças crônicas.

>> Saiba o que é estresse ocupacional e quais são suas consequências no ambiente de trabalho <<

3. Implementação de ações

Por fim, é hora de colocar em prática tudo aquilo que foi planejado para melhorar a qualidade de vida e diminuir os riscos dos colaboradores da sua organização. Algumas ações específicas podem ajudar, conforme o relatório elaborado pelo gestor e/ou pelo responsável pela Segurança do Trabalho, como:

  • Disponibilização de planos de saúde e odontológico;
  • Promoção de ginástica laboral no ambiente de trabalho;
  • Realização de acompanhamento psicológico para funcionários expostos a altos níveis de estresse;
  • Investimento em cursos e palestras sobre as normas regulamentadoras específicas para o bem-estar e saúde dos trabalhadores;
  • Acompanhamento profissional em atividades de risco.

Agora que você conhece algumas medidas que podem ajudar a diminuir os riscos de saúde que seus empregados podem tem, é hora de colocar a mão na massa.

A Beta Educação oferece cursos de treinamento online para a sua empresa, facilitando a implementação de ações em medicina preventiva e evitando riscos desnecessários no seu ambiente de trabalho.

Fontes:

Medicina preventiva nas empresas: quais as melhores práticas? https://blog.goldencross.com.br/medicina-preventiva-nas-empresas/

Medicina preventiva: saiba por que a sua empresa deve investir! https://sharecare.com.br/noticias/medicina-preventiva/

A importância da medicina e segurança do trabalho preventiva https://www.gruporealizaweb.com.br/single-post/2017/02/15/a-import%C3%A2ncia-da-medicina-e-seguran%C3%A7a-do-trabalho-preventiva

Deixe seu comentário