7 principais equipamentos para movimentação de cargas

A logística tem uma importância fundamental para as empresas, especialmente aquelas que lidam com cargas físicas diariamente. Um bom planejamento com relação aos equipamentos é essencial quando se trabalha com um montante muito grande de cargas.

Desde a Revolução Industrial, por volta do início do século XIX, o inventário de máquinas de movimentação de cargas só foi crescendo. Com a tecnologia que o mundo possui atualmente, os equipamentos mudaram bastante, mas a sua função continua basicamente a mesma: deixar a logística das empresas mais dinâmica e viável.

É importante citar também que ter um conhecimento prévio dos principais equipamentos para movimentação de cargas é primordial para que se possa evitar possíveis acidentes de trabalho. Por isso, no post de hoje separamos os 7 principais equipamentos para movimentação de cargas dentro do local de trabalho. Confira:

1. Empilhadeiras

Este é um equipamento que já faz parte da rotina de toda e qualquer empresa especializada em logística. As empilhadeiras servem, basicamente, para fazer a carga e descarga de mercadorias e produtos em geral. Uma empilhadeira, dependendo de sua tipologia, é capaz de movimentar cargas que variam entre 1.000 e 16.000 kg, sem que para isso seja aplicado um esforço humano descomunal.

>> Conheça o nosso curso de NR-11, voltado para operadores de empilhadeiras <<

Em linhas gerais, as empilhadeiras podem funcionar tanto pela combustão de gás liquefeito de petróleo (GLP) ou por meio de bateria tracionária. Dentre as empilhadeiras mais famosas, podemos classificá-las em três tipos:

1.1 Empilhadeiras retráteis

Esse é um tipo de modelo compacto, feito idealmente para os trabalhos em ambientes internos pequenos ou de difícil locomoção. Por ser alimentada por bateria elétrica, as empilhadeiras retráteis não emitem poluidores na atmosfera e também são mais seguras para ambientes fechados.

Outras duas vantagens desse tipo de equipamento é que ela é composta por uma torre que se movimenta através de comandos do operador – ou seja, os esforços necessários para que se movimente ele são mínimos, além de que podem ser facilmente substituídas em caso de quebra.

1.2 Empilhadeiras patoladas

Esse gênero de empilhadeiras particularmente não apresenta robustez na sua estrutura, o que faz com que sua manutenção não traga grandes custos na gestão empresarial. Os operadores das empilhadeiras patoladas devem trabalhar de pé, e essa é uma das maiores vantagens do manuseio desse equipamento.

Dessa maneira é possível adequar o equipamento de maneira confortável para as necessidades da movimentação de carga. Os movimentos de tração e elevação são acionados eletronicamente, garantindo assim que o operador não necessite fazer esforços físicos.

1.3 Empilhadeiras contrabalançadas

No caso desse tipo de empilhadeiras, o operador geralmente permanece sentado. O nome tem origem no peso localizado na parte traseira do equipamento, utilizado geralmente para equilibrar as solicitações da carga sem que o sistema perca o equilíbrio.

Ao contrário dos dois últimos tipos de empilhadeiras, nesse caso elas são boas opções para ambientes largos e externos, onde se precisa movimentar carga a uma larga distância. Geralmente, as empilhadeiras contrabalançadas podem funcionar através de motor elétrico ou por combustão.

2. Transpaletes

A existência dos transpaletes é bastante antiga. Uma das principais funções desse equipamento é o deslocamento de materiais com pouco custo, o que facilita – e muito! – a vida de quem trabalha com estoques. Mas qual é a diferença entre os transpaletes e as empilhadeiras, então?

Ao contrário das empilhadeiras, os transpaletes são destinados apenas para a movimentação horizontal de cargas, e não para os trabalhos em altura. Uma das características desses equipamentos é a presença de rodas, que em contato com o chão, podem causar algum tipo de desgaste. No caso de pisos lisos e abrasivo, as rodas ideais são aquelas feitas de nylon. Já para o caso de pisos pintados e usinados, o poliuretano pode ser a solução ideal.

Abaixo, listamos os tipos de transpaletes mais comuns:

2.1 Transpaletes manuais

São ferramentas de trabalho ideais para quem trabalha com o transporte de cargas em armazéns e docas. Tem capacidade de carga de até 2.500 kg.

2.2 Transpaletes elétricos

Como o próprio nome já menciona, os transpaletes elétricos são equipamentos de tração e elevação que funcionam por acionamento elétrico. É indicado para movimentações de cargas a médias distâncias, em especial em indústrias e docas de todo o país.

3. Guindastes

Com cargas cada vez maiores e mais pesadas, é necessário que se faça o uso de equipamentos adequados para suportar esses esforços. Por conta disso, as indústrias de construção civil, terminais portuários e aeroportuários, e basicamente todas as áreas que necessitam fazer movimentação de cargas utilizam-se dos guindastes.

Eles podem ser divididos em:

3.1 Gruas: servem para transportar cargas tanto na horizontal quanto na vertical. O controle é feito por meio eletrônico, o que torna a movimentação mais suave e auxilia na economia de energia.

3.2 Pinça ou multiangular: geralmente utilizada com frequência na construção civil, ela pode ser desmontada mesmo sendo de grandes dimensões ou pesada. O formato desse tipo de guindaste é comumente treliçado, e possui um contrapeso que estabiliza o equipamento.

3.3 Pórtico: são mais usados em portos com o intuito de manobrar e descarregar grandes contêineres ou contentores. Têm força o suficiente para carregar até 12 contêineres de 20 metros cúbicos cada um, podendo até carregar mais em algumas situações.

3.4 Grua florestal: essa tipologia de guindaste é utilizada para carregar toras de madeira em caminhões ou em carretas específicas, geralmente para a produção de papel e celulosa, carvão vegetal, e para o abastecimento de caldeiras.

3.5 Munk: também conhecido por guindaste rodoviário, é comumente empregado na construção civil, na montagem de estruturas metálicas, tanques e outros. Ele é montado geralmente sob caminhões de chassi.

4. Transelevadores

Estes são robôs desenvolvidos para fazer o armazenamento de produtos de maneira completamente automatizada. Eles podem se deslocar ao longo dos estoques, fazendo uso da altura do galpão para alocar mercadorias. Por ter uma exatidão na movimentação, é capaz de agilizar os processos de armazenagem e separação de pedidos.

Existem dois tipos de transelevadores: os unit loads, que manipulam as mercadorias em paletes e podem ser um pouco mais pesados, e os mini loads, usados para armazenar produtos em unidades ou caixas.

5. Pontes rolantes

As pontes rolantes geralmente são utilizadas para manusear produtos mais pesados dentro de uma área fixa. Podem também ser utilizadas para movimentar produtos mais desajeitados, como os materiais a granel. Pode ser uma ponte rolante apoiada, suspensa, uni-viga ou dupla-viga, a depender do tipo de material que é movimentado por ela.

>> Saiba mais sobre a importância das pontes rolantes na movimentação de materiais <<

6. Comboios

Também conhecidos como carrinhos-comboio, esses equipamentos funcionam de maneira parecida com uma locomotiva. Tem vários compartimentos e é ideal para o transporte de cargas volumosas. São ideais para rebocar vagões menores determinados por outros tipos de produtos. São considerados simples, flexíveis e de baixo custo.

7. Esteiras transportadoras

Para que não haja perda de tempo na localização e no transporte das mercadorias, o mais recomendável é o uso das esteiras transportadoras. Elas são uma ótima solução para a dinamização dos produtos de uma empresa, para garantir agilidade e segurança. Com o uso de uma esteira transportadora, não é necessário que haja uma pessoa para transportar ou carregar as mercadorias, evitando também as lesões físicas dos colaboradores.

Agora que você já tem conhecimento sobres os principais equipamentos para a movimentação de cargas, isso facilita o seu trabalho na hora de evitar acidentes entre os colaboradores. Garantir a saúde e segurança do trabalho entre os seus funcionários é essencial para evitar os acidentes – e saber como funciona o manuseio desses equipamentos faz parte do processo.

A Beta Educação se interessa pela promoção da saúde e segurança do trabalho dentro das empresas que prestam serviços que envolvam a movimentação de cargas.

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: