5 tendências do e-learning para 2021

Antes mesmo da pandemia do novo coronavírus em 2020, a educação já estava tomando novos rumos desde o final da última década. O aumento das matrículas para cursos EaD em instituições de ensino superior, por exemplo, é uma prova cabal dessa tendência.

Não é possível afirmar que as mudanças na educação no Brasil serão as mesmas adotadas em todas as regiões do país, visto que existe uma desigualdade regional muito vasta. No entanto, já é possível apontar que a educação à distância e o modelo de ensino híbrido passaram a ser eixos centrais no último ano e que provavelmente serão melhor desenvolvidos nos próximos anos.

A importância da tecnologia para a educação tornou-se um elemento fundamental para qualquer instituição do ramo. Para se ter uma ideia do quanto isso só tende a crescer, de acordo com dados da Distrito EdTech Report 2020 a categoria “plataformas para educação” foi a que mais recebeu investimentos na última década — cerca de US$ 49,3 milhões.

2020 obrigou muitas empresas a mudarem suas perspectivas e noções com relação ao ensino online. Apesar dessa mudança de paradigma, muito do que foi realizado neste contexto serviu para “cumprir tabela” das demandas urgentes de adaptação à nova realidade. Tanto em 2021 quanto nos próximos anos, a tendência é que essas transformações no ramo da educação sejam não apenas implementadas, mas pavimentadas e estabilizadas.

Confira algumas tendências específicas do e-learning que muito provavelmente farão parte do vocabulário de quem se interessa pelo tema:

1. Profissionalização e desenvolvimento de competências

Na verdade, essa é uma tendência que vai muito além da expansão do ensino a distância e que vem se mostrado bastante proeminente no panorama da educação em geral.

Hoje em dia, cada vez mais os alunos estão trocando o “conhecer” ou o “saber” pelo “saber fazer”. Muito mais do que apenas aprender sobre um conceito, está sendo valorizada a operacionalização do trabalho em si.

Embora seja um desafio dentro do contexto de ensino remoto, a tendência para desenvolver competências através do e-learning promete ser um tópico a ser discutido. Algumas técnicas de ensino específicas, como a Aprendizagem Baseada em Projetos (ABP) e demais metodologias ativas, provavelmente serão muito valorizadas nesse âmbito.

2. Uso de data analytics

Provavelmente você já deve ter ouvido falar que a ciência de dados é a ciência do futuro. No ramo da educação não é diferente. Com a pandemia do coronavírus, aprendemos que manter a atenção dos alunos no ensino a distância pode ser um grande desafio.

Data analytics combinado à educação nada mais é do que uma ferramenta que possibilita a mensuração da aprendizagem e do desempenho dos alunos, bem como orienta o processo para a obtenção de melhores resultados.

Com essa análise, cada aluno pode ter um atendimento personalizado — o que tanto garante uma maior fidelidade à instituição de ensino, como também um progresso dos níveis de assimilação de conteúdo.

3. Desenvolvimento de videoaulas dinâmicas

A pandemia do novo coronavírus pegou muitas pessoas de surpresa. Por conta disso, muitos profissionais acabaram cedendo a lives e ao YouTube para que pudessem passar o conteúdo aos alunos.

A tendência para este e para os próximos anos é que haja uma profissionalização das videoaulas, tornando-as mais atrativas e dinâmicas para os alunos. 2021 promete para o e-learning uma expansão do uso de técnicas audiovisuais no ensino a distância, não apenas como ferramenta mas como aliada do processo de aprendizagem.

4. Microlearning

Essa é uma tendência que já vem acontecendo principalmente com usuários das gerações Z e Alpha (nascidos após 2005).

Mais e mais esses indivíduos têm consumido conteúdos que não sejam tão maçantes e de pouca qualidade. Pelo contrário. O advento de plataformas com o TikTok, onde em vídeos curtos é possível transmitir algum tipo de entretenimento e informação, é o maior exemplo disso.

O microlearning, embora seja um termo ainda pouco utilizado no Brasil, vem em encontro justamente a essa tendência. Cansados do bombardeio de informações que a internet proporciona, mais e mais os usuários procuram por conteúdos rápidos, curtos e eficazes na hora de aprender alguma competência. E isto promete ser uma grande tendência para a educação online.

5. Student Experience

Assim como o termo User Experience (UX) tem sido um termo muito em voga ultimamente, no universo da educação a experiência do usuário também promete se um tema em particular que vai ser bastante desenvolvido.

Isto porque a percepção que um estudante tem sobre o serviço educacional que está sendo oferecido é fundamental para agregar valor ao ensino online. Portanto, quando uma instituição de ensino proporciona uma experiência memorável, é mais possível que este aluno seja um potencial embaixador da sua instituição de ensino ou empresa.

Perceber e valorizar a experiência do aluno no processo de aprendizagem parece ser uma tendência para o e-learning não apenas em 2021, mas provavelmente para os anos vindouros.

Nós, da Beta Educação, trabalhamos com treinamentos online pensando no melhor para a sua empresa e seus colaboradores.

Fontes:

6 Tendências em Educação para 2021 – Muito além do Ensino Híbrido https://www.linkedin.com/pulse/6-tend%C3%AAncias-em-educa%C3%A7%C3%A3o-para-2021-muito-al%C3%A9m-do-ensino-szuparits/

9 Tendências Educacionais para 2021 que você precisa saber https://rubeus.com.br/blog/tendencias-educacionais-para-2021/

Mudanças na Educação: conheça 5 tendências para 2021! https://blog.vindi.com.br/mudancas-na-educacao-em-2020/

Deixe seu comentário