5 dicas de direção defensiva para condutores de motocicletas

Com o advento da pandemia da Covid-19, muitas pessoas passaram a trabalhar com motocicletas, especialmente no ramo da entrega (delivery). Embora seja uma opção viável para quem já é habilitado para dirigir, é preciso tomar cuidado com os acidentes, que atingem em muito os motoristas de motocicletas.

Para se ter uma ideia, de acordo com dados do DPVAT, seguro para Danos Pessoais por Veículos Automotores Terrestres, nos últimos dez anos pelo menos 2,5 milhões de brasileiros ficaram permanentemente inválidos em acidentes com motocicletas, e outros 200 mil acidentes acabaram sendo fatais.

>> Saiba aqui porque fazer o curso de direção defensiva, mesmo não sendo obrigatório <<

Esses dados alarmantes demonstram que, embora haja uma maior flexibilidade e sensação de liberdade ao andar de motocicletas, os condutores precisam tomar atenção redobrada nas vias. Uma maneira de facilitar isso é através do ensino e do seguimento das diretrizes de direção defensiva.

Mas sobre o que se trata a direção defensiva?

Trabalhar com conscientização de motoristas de motocicletas no trânsito também depende de cada um dos condutores. Assim, o risco de acidentes no trânsito pode diminuir consideravelmente. (Imagem: Freepik)

A direção defensiva diz respeito aos procedimentos corretos, seguros e responsáveis na hora de dirigir veículos motorizados, como carros e motocicletas. Uma das bases da direção defensiva é fazer o condutor tomar consciência das suas ações incorretas no trânsito, mesmo com as condições adversas de terceiros nas vias de trânsito.

>> Conheça mais sobre a direção defensiva e para que serve no nosso artigo <<

Por conta da importância das técnicas de direção defensiva para os motoristas de motocicletas, e também por conta do Maio Amarelo, que visa chamar atenção para a conscientização da redução dos acidentes de trânsito, separamos nesse artigo 5 dicas de direção defensiva para condutores de motocicletas. Confira:

1. Tome cuidado com a distância e a dimensão dos veículos na pista

Embora essa seja uma lição básica das aulas de direção na autoescola, é muito comum que os motoristas a esqueçam ou simplesmente a ignorem no trânsito caótico das grandes cidades. Especialmente com relação às motocicletas, essa é uma atenção que demanda bastante cuidado: embora os veículos de duas rodas caibam perfeitamente entre dois carros, em especial na hora de ultrapassagem, é importante lembrar que o lugar do motorista é na mesma faixa que eles.

Segundo as leis de transito, é possível trafegar no corredor, desde que respeitada a velocidade da via e a velocidade do transito naquele momento.

Muitos acidentes acontecem nos corredores, e poderiam ser evitados se o motociclista adotar uma postura defensiva e imaginar sempre que algum veículo possa mudar de faixa sem sinalizar.

2. Fique de olho no ponto cego

O uso do retrovisor é essencial, mas ele pode iludir o motorista. Por isso, antes de fazer a mudança para outra faixa ou na hora de fazer uma curva, certifique-se de olhar para trás para ver se não há outros veículos vindo na sua direção e se há espaço o suficiente para fazer a manobra. Isso porque o ponto cego costuma ser um motivo de muitos acidentes para condutores desatentos.

O ponto cego deve ter cuidado redobrado pelas seguintes situações:

  1. O motociclista pode estar em um ponto cego do motorista do carro, neste caso, o motorista ao não visualiza-lo pode efetuar uma manobra de troca de faixa, que pode ser fatal ao motociclista. Uma dica neste caso é o motociclista olhar ao motorista do carro e checar se ele está te olhando, se não estiver, pode tentar sinalizar com uma buzina, ou reduzir a velocidade e redobrar o cuidado ao ultrapassar o veículo.
  2. O ponto cego pode estar no próprio retrovisor do motociclista, ao trafegar em uma rodovia por exemplo, fazendo com que o motociclista não veja e não tenha o reflexo do carro ao seu lado. O perigo é o motociclista trocar de faixa e encontrar com o veículo logo ao seu lado. A dica aqui é redobrar a checagem antes de ultrapassar, se for preciso, olhar pelos ombros com uma leve e rápida virada de pescoço para verificação.

3. Cuidado com o vento!

Por mais que essa pareça com uma recomendação meteorológica, na verdade não é. Basta ter uma simples noção de física para saber que corpos menos pesados são mais propensos a cair no chão quando há algum tipo de anormalidade no vento.

Como os carros e demais automóveis a quatro rodas não possuem esse risco com frequência, com motos isso costuma ser diferente: é importante que o motorista não corra o risco de desequilibrar quando o tempo estiver instável, como durante ventanias e tempestades.

4. Use o farol como guia para os demais motoristas na via

Essa dica também faz parte do rol de aprendizados dos cursos de direção em autoescola, mas que alguns condutores de motocicletas acabam por se esquecer. É obrigatório por lei que o farol da moto esteja sempre ligado, por um motivo simples: assim, os motoristas que estão na via prestam atenção que há uma moto e o risco de acidentes é reduzido.

Vale também sinalizar com luz alta sempre que perceber que um veículo não está assistindo a sua passagem.

5. Não se esqueça de usar equipamentos de segurança

Outra dica essencial, que além de obrigatória por lei, tem como principal objetivo prezar pela segurança dos motoristas. Utilizar capacetes, bem como outros itens de segurança como luvas, óculos escuros, roupas impermeáveis e calçados adequados, evitam que o condutor sofra acidentes e fazem com que a viagem seja mais confortável.

Estas são apenas algumas dicas que os motoristas de motocicletas devem se atentar para dirigir com atenção à direção defensiva. Lembre-se sempre também de manter a manutenção da sua motocicleta em dia, pois mesmo seguindo à risca essas orientações, com o veículo danificado o risco de acidentes costuma ser muito maior.

Nós, da Beta Educação, nos preocupamos com a saúde e segurança dos motoristas de motocicletas e oferecemos um curso completo e exclusivo de direção defensiva.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *