13 Dicas para garantir a segurança nos trabalhos em altura

25 de janeiro de 2017

Confira no post de hoje 13 dicas para garantir a segurança nos trabalhos em altura. Hoje os trabalhos em altura são regularizados pela NR-35, responsável por estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura.

A NR-35 estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura, envolvendo o planejamento, a organização e a execução, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores envolvidos direta ou indiretamente com esta atividade.

O trabalho em altura é uma atividade que hoje é responsável pela maioria dos acidentes de trabalho nas empresas, por esse motivo, hoje vamos mostrar 13 dicas de o que fazer e o que não fazer para evitar acidentes nesta atividade.

O que você não deve fazer nos trabalhos em altura:

  • sobrecarregar escadas – a pessoa ou qualquer coisa que utilizar a escada não deve exceder a carga máxima indicada na escada;
  • Ultrapassar a área da escada e dos degraus – Mantenha sua fivela do cinto (umbigo) dentro da área dos degraus e os dois pés no mesmo degrau durante toda a tarefa;
  • Usar escadas e degraus se a natureza do trabalho é considerada pesada ou se a tarefa tomará mais de 30 minutos ou mais para ser completada;
  • Usar escadas se o trabalhador não conseguir manter os pontos de contato (mãos e pés) nela.
  • Responsabilizar uma pessoa para o trabalho em altura que não possui experiência ou conhecimento suficiente para realização da tarefa;

trabalhos em altura

O que você deve fazer nos trabalhos em altura:

  • Certifique-se que os equipamentos para acesso á superfície em uso é estável e forte o suficiente para suportar o peso do trabalhador e de qualquer equipamento;
  • Realize o trabalho quando possível a partir do solo ou parcialmente a partir do solo, por exemplo montar estruturas no chão e levantá-las na posição de meios de elevação;
  • Tomar precauções quando se trabalha em/ou perto de superfícies frágeis para evitar uma queda ou para minimizar a distância e consequências em caso de uma queda;
  • Garantir que os trabalhadores possam chegar com segurança de e para onde eles queiram trabalhar em altura e também considerar os procedimentos de evacuação de emergência e salvamento;
  • Escolher o equipamento (EPI/EPC) mais adequado para o tipo de trabalho que está sendo feito;
  • Fornecer proteção contra a queda de objetos;
  • Garantir que o equipamento certo usado para trabalho em altura esta bem conservado e inspecionados regularmente.

trabalhos em altura

O treinamento de trabalhos em altura (NR-35)

Como havíamos dito anteriormente a NR-35 é a grande responsável das melhores práticas de segurança do trabalho para este tipo de atividade e por isso é obrigatória pelo MTE.

Realizar este treinamento é uma forma de garantir a sua segurança e a segurança também de seus colegas de trabalho, sem deixar de lembrar também que é um curso obrigatório! E é no item 35.3 onde trata sobre a capacitação e o treinamento de trabalhos em altura:

35.3.1 O empregador deve promover programa para capacitação dos trabalhadores à realização de trabalho em altura.

35.3.2 Considera-se trabalhador capacitado para trabalho em altura aquele que foi submetido e aprovado em treinamento, teórico e prático, com carga horária mínima de oito horas, cujo conteúdo programático deve, no mínimo, incluir:

a) normas e regulamentos aplicáveis ao trabalho em altura;

b) análise de risco e condições impeditivas;

c) riscos potenciais inerentes ao trabalho em altura e medidas de prevenção e controle;

d) sistemas, equipamentos e procedimentos de proteção coletiva;

e) equipamentos de Proteção Individual para trabalho em altura: seleção, inspeção, conservação e limitação de uso;

f) acidentes típicos em trabalhos em altura;

g) condutas em situações de emergência, incluindo noções de técnicas de resgate e de primeiros socorros.

35.3.3 O empregador deve realizar treinamento periódico bienal e sempre que ocorrer quaisquer das seguintes situações:

a) mudança nos procedimentos, condições ou operações de trabalho;

b) evento que indique a necessidade de novo treinamento;

c) retorno de afastamento ao trabalho por período superior a noventa dias;

d) mudança de empresa.

A Beta Educação desenvolveu um curso online da NR-35, que oferece o conteúdo teórico tanto para trabalhador em altura, como para supervisor de altura. Para conferir todos os cursos, acesse: www.betaeducao.com.br/cursos.

trabalhos em altura

Você também irá gostar

  • Especial: A ergonomia muito além de seu conceito

    Especial: A ergonomia muito além de seu conceito

    A ergonomia pode ser definida de acordo com o dicionário Aurélio como a “ciência que visa à organização metódica do trabalho em função do fim proposto e das relações entre homem e a máquina” (Aurélio, p. 298, 2010). Desta forma, pensando na maior produtividade do trabalhador e em seu bem-estar, uma das atribuições do Técnico […]

  • O que é preciso saber sobre Legislação Trabalhista e Previdenciária em SST?

    O que é preciso saber sobre Legislação Trabalhista e Previdenciária em SST?

    Olá, no post de hoje iremos abordar um tema muito importante para todos os envolvidos na área de SST: A legislação trabalhista e previdenciária. A intenção deste post é apresentar de maneira simplificada os conceitos do acidente de trabalho nos termos legal e prevencionista e como ficará o envio dos dados do acidente com o […]

  • Por que o mês de Maio é Amarelo?

    Por que o mês de Maio é Amarelo?

    Maio Amarelo é um movimento internacional de conscientização para a redução dos acidentes de trânsito e que surgiu com uma só proposta: chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo.  A ideia é mobilizar os mais diversos segmentos: órgãos de governos, empresas, entidades de classe, associações, federações […]